quinta-feira, 3 de outubro de 2013

No pain. No gain #2


Good morning!


Como já vos tinha falado na primeira parte deste post, ando sobre um regime de treino específico acompanhado de um plano alimentar. Ou seja... há 2 semanas precisamente que ando em dieta (coisa que já não fazia há 4 anos!). 

Muitas pessoas dizem-me "não precisas de dieta, estás magra", "vais ficar doente", "és maluca", "não tarda desapareces". Amigos, nada disso. Hoje em dia, século XXI e que a cultura da magreza é levada ao extremo com a imagem das passerelles, sempre que se fala em dieta pensa-se apenas numa única palavra: privação alimentar.

Em parte é, em parte não. Privamo-nos sim daquilo que nos faz mal, e aprendemos a alimentar-nos. Mas passar fome? Não. Trata-se de comer os alimentos certos. Primeiro de tudo, algo importante a reter. Se vos perguntassem o que engorda, os açúcares ou as gorduras, muitos de vocês optavam pela segunda opção. Mas está errado... O que engorda são os produtos com alto índice glicémico - para ser mais fácil, produtos que na sua composição tenham mais de 6 g de açúcares por 100 g de produto

Posto isto, o meu plano alimentar é muito variado e tenho imensas opções. As restrições são as básicas: alimentos com alto índice glicémico, hidratos de carbono como a massa, arroz, batata e leite.

Aspectos-chave:

Em jejum, uma chávena de chá verde com um pau de canela. O chá verde é um óptimo acelarador do metabolismo juntamente com o café sem açúcar, que antes do treino funciona também como termogénico!




Muitas proteínas! Fiambre, carne (de aves de preferência, mas eu como de tudo), peixe! Ao almoço com legumes e/ou salada + leguminosas. Ao jantar com legumes ou salada.






Sementes de linhaça + aveia - óptimas fontes de fibra, cálcio, magnésio e reguladoras do trânsito intestinal. Coloco-as no batido de pequeno-almoço ou com o iogurte de soja natural sem açúcar ou iogurte magro natural


Para substituir o arroz, massa e batata, come-se leguminosas! Desde a todos os tipos de feijão, até ao grão, ervilhas, favas e lentilhas pode-se comer tudo. Mas só ao almoço :) nos dias de maior cansaço, posso comer batata doce ou arroz integral.


Sopa ao jantar: sim, mas sem batata, abóbora ou cenoura cozida :) isto porque a cenoura e a abóbora quando cozidas aumentam imenso o seu índice glicémico.

Frutas: óbvio. Mas aquelas com menos açúcares. Ananás, abacate, kiwi, morango, ameixa, amora, framboesa, mirtilhos, nectarina, pêssego e alperces. Nos dias de treino, posso comer uma banana.










Depois do treino - logo logo a seguir - para repor os níveis de glicémia posso comer uma banana, marmelada ou goiabada (nhamiii)

E ainda tenho uma ceia todos os dias: chá de camomila, erva-cidreira ou erva de são-joão + 2 tostas integrais + fiambre de peru

E agora podem perguntar: então e... Não há quaisquer pecados? E se houver um grande jantar com mil tentações?

Pois bem, o que faço é tento conter-me ao máximo obviamente, mas se sei de antemão que vou ter um jantar onde poderão haver coisas deliciosas, o que se deve fazer é treino IN-TEN-SI-VO. É isso mesmo. Não se come e vai para o treino, isso está errado. E porquê? Porque se treinarmos antes, os nossos músculos vão continuar a queimar calorias por umas boas horas e essas calorias que iremos ingerir não farão diferença :)

Não é assim tão mau como parece. Não tenho andado com fome, tão tenho andado cansada. Se me apetece cometer pecados? Apetece, ÓBVIO! Como não os fazer? Isso fica para a próxima :)

Que acharam? Se tiverem algumas dúvidas não hesitem em perguntar!

Love, 

C.







Sem comentários:

Publicar um comentário

Opiniões Brilhantes